11 março 2014

O descobridor de geoglifos gaúchos

Venho divulgar o trabalho de Bruno Farias, jornalista e autor de diversos textos, fotos e mapas e um livro sobre os geoglifos gaúchos (mais informações sobre o autor nos links a seguir).

Capa do livro de Bruno Farias


Ele inventariou uma série de pontos com geoglifos: alterações no terreno, solo ou relevo da terra para diversos fins, desde construção de cercados até inscrições para viajantes espaciais. Farias (2011) utiliza imagens de satélites e o Google Mapas, para indicar os pontos com geoglifos no sul do Brasil.

Provavelmente os geoglifos mais famosos do mundo localizam-se no deserto de Nazca (Peru) e são mencionados por Jacques Bergier em seu livro "Extraterrestres na História" (DAGNINO, 2013). No Brasil, são muito divulgados aqueles localizados na Amazônia, com destaque para os geoglifos do Acre (PIVETTA, 2011a) e do Amapá (PIVETTA, 2011b)

O trabalho de Bruno Farias vem sendo reconhecido como um dos mais importantes do sul do Brasil, como salienta o arqueólogo Fabrício Vicroski (2013): "No sudeste do Rio Grande do Sul e nordeste do Uruguai há centenas de geoglifos, muitos deles foram localizados pelo jornalista e pesquisador Bruno Farias, que nos últimos anos vem realizando um intenso trabalho de mapeamento destas estruturas."

Farias (2013) explica que:

"Visíveis até do espaço, centenas de anéis de terra no sul do país guardam um mistério sobre suas verdadeiras origens e funções. Com até 120 metros de diâmetro e presentes em diversas cidades do Rio Grande do Sul, segundo alguns moradores locais, estas estruturas seriam cercas de terra feitas por escravos no início da colonização. Nas mesmas rotas onde elas estão localizadas, entre Pelotas e Dom Pedrito (RS), também existem currais de pedra circulares com as mesmas proporções, velhas conhecidas da cultura gaúcha. Mas mesmo assim há quem cogite a possibilidade destas construções, apelidadas de geoglifos por serem melhor visualizadas do alto, terem raízes mais profundas, remontando à pré-história."

Fabrício Vicroski (2013) comenta que:

"No Planalto Catarinense, assim como no Estado do Acre, tais estruturas remetem ao período pré-colonial, comumente associadas à funções cerimoniais. Já no Rio Grande do Sul os estudos são incipientes, as pesquisas acerca dos geoglifos são escassas, e limitam-se basicamente a identificação das estruturas e sua breve contextualização histórica."

"Os dados até então disponíveis nos permitem supor que a origem dos geoglifos nesta região está relacionada ao período de colonização, a partir do final do século XVIII. As fontes históricas documentais e também a história oral lhes atribuem a funcionalidade de cercar o gado vacum existente nas propriedades ou transportado pelos tropeiros da região da campanha até as charqueadas. As mangueiras impediam que os animais se dispersassem enquanto os tropeiros repousavam durante a noite. Atividades secundárias, como a doma de animais, possivelmente também eram realizadas nestes locais."

Referências

DAGNINO, R. Locais mencionados por Jacques Bergier em "Extraterrestres na História". GoogleMaps, 2 de julho de 2013.  Disponível em: <http://goo.gl/MbKt6N>. Acesso em 10 de março de 2014.

FARIAS, B. Mapa do Google Maps associado ao álbum dos geoglifos gaúchos permite acessar fotos dos currais junto às suas imagens de satélite. História X Atualidade. 26 de julho de 2011. Disponível em: <http://goo.gl/QzxrWu>. Acesso em 10 de março de 2014.

FARIAS, Bruno. Geoglifos Gaúchos. Revista de História.com.br. 9 de setembro de 2010. Disponível em: <http://goo.gl/yrj9vO>. Acesso em 10 de março de 2014.

VICROSKI, Fabrício. Geoglifos no extremo sul do Brasil. Site do Núcleo de Pré-História e Arqueologia (NuPHA/Universidade de Passo Fundo). 2 de fevereiro de 2013. Disponível em: <http://goo.gl/MMMsw7>. Acesso em 10 de março de 2014.

PIVETTA, Marcos. A cultura dos geoglifos. Revista FAPESP, n. 186. Agosto, 2011a. (p. 80-83). Disponível em: <http://goo.gl/99afbF>. Acesso em 10 de março de 2014.

PIVETTA, Marcos. As pedras do sol. Revista FAPESP, n. 186. Agosto, 2011b. (p. 84-85). Disponível em: <http://goo.gl/IarRD0>. Acesso em 10 de março de 2014.

Mais sobre Bruno Martins Farias:

* Currículo: http://lattes.cnpq.br/1919579750611850

* Blog Memórias Leonenses - personagens, lugares históricos e lendas de Capão do Leão/RS - http://memoriasleonenses.blogspot.com.br/

* Mapas dos Geoglifos Gaúchos: http://goo.gl/maps/CNMcc



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Imprimir a postagem em PDF

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...