13 julho 2015

Projeto SelfieCity - Estilo dos selfies em cinco cidades do mundo



O número 170 da ComCiência - Revista Eletrônica de Jornalismo Científico, publicada pelo Labjor e pela SBPC, é dedicado a Big Data e traz a reportagem "A arte que trafega em dados" por Janaína Quitério (2015). A autora conversou com Daniel de Souza Neves Hora, que defendeu a tese de doutorado "Teoria da arte hacker: estética, diferença e transgressão tecnológica" na Universidade de Brasília (UNB) e que chama a atenção para o projeto SelfieCity como exemplo ambicioso de investigação que desde 2014 combina métodos artísticos, teóricos e quantitativos para analisar autorretratos publicados na internet.

O projeto SelfieCity (http://selfiecity.net), ou "cidade dos selfies", consiste em uma investigação sobre o estilo de autorretratos (selfies) em cinco cidades ao redor do mundo: Bangkok, Moscou, São Paulo, Nova York, Berlim. A equipe do projeto é coordenada por Lev Manovich e analisou 3.200 fotos (640 fotos de cada cidade), filtradas a partir de um universo de 120 mil fotos georreferenciadas e coletadas aleatoriamente no Instagram.


Processo de coleta de dados

Os dados coletados pelo projeto permitiram fazer a distribuição das fotos segundo sexo e idade do autorretratado (tal qual uma pirâmide etária) e também as medianas de idade segundo o sexo.
Em São Paulo, a mediana de idade dos homens ficou em 25 anos e a das mulheres ficou em 22,3 anos e percebe-se um elevado percentual de mulheres (65,4% do total). Em relação à mediana de idade percebe-se que a de Bangkok é a menor de todas as cidades, tanto para homens quanto para mulheres.

Distribuição das fotos segundo sexo e idade do autorretratado

Mediana das idades, segundo o sexo do autorretradado

Um outro indicador interessante é o índice do sorriso (Smile Score), que vai do triste ao feliz. Enquanto que Bangkok e São Paulo são as cidades dos selfies mais felizes, Moscou é a cidade com as selfies mais tristinhas.

Índice médio de sorriso (Average smile scores)

Esses e outros indicadores foram reunidos na plataforma de análise de dados Selfie Exploratory (http://selfiecity.net/selfiexploratory/) cuja tela pode ser visualizada abaixo.



Captura da tela do Selfie Exploratory

Para a pesquisadora da Universidade da Califórnia Elizabeth Losh, entrevistada por Quitério (2015): "a base de dados formada a partir dessa pesquisa coletada em cinco cidades de quatro diferentes continentes indica que a selfie se tornou um gênero transnacional, mas, só agora, a literatura acadêmica começa a teorizar essa forma específica de autorrepresentação".

Referências

QUITÉRIO, Janaína. A arte que trafega em dados. ComCiência - Revista Eletrônica de Jornalismo Científico, n. 170. 10/07/2015. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=115&id=1391

SELFIECITY- Investigating the style of self-portraits (selfies) in five cities across the world. http://selfiecity.net/selfiexploratory/

06 julho 2015

Mineração em Áreas Protegidas da Amazônia Brasileira

Divulgando os excelentes trabalhos de Fany Ricardo e Alicia Rolla do Instituto Socioambiental (ISA) sobre monitoramento de mineração em Áreas Protegidas da Amazônia. [Os links para as publicações estão no final da postagem].








Em 2004 Fany Ricardo organizou o o denso livro "Terras Indígenas & Unidades de Conservação da natureza: o desafio das sobreposições" (RICARDO, 2004) e ano seguinte lançou, ao lado de Alicia Rolla, o primeiro volume sobre mineração em Terras Indígenas (RICARDO e ROLLA, 2005), recentemente reeditado (RICARDO e ROLLA, 2013).




Em 2006, foi lançado o volume sobre mineração em Unidades de Conservação (RICARDO e ROLLA, 2006) que por enquanto não foi reeditado. 

Abaixo duas amostras dos mapas produzidos sobre Unidades de Conservação da Terra do Meio (Estado do Pará): ESEC Terra do Meio e RESEX Riozinho do Anfrísio.





Estação Ecológica da Terra do Meio


Reserva Extrativista Riozinho do Anfrísio

Referências

RICARDO, F.; ROLLA, A. Mineração em Terras Indígenas na Amazônia brasileira. 1ª ed. São Paulo, Instituto Sócio Ambiental (ISA). 2005. 179p. Disponível em: <http://www.socioambiental.org/banco_imagens/pdfs/10147.pdf>.

RICARDO, F.; ROLLA, A. Mineração em Terras Indígenas na Amazônia brasileira 2013. 1ª ed. São Paulo, Instituto Sócio Ambiental (ISA). Março/2013. 112p. Disponível em <http://www.socioambiental.org/sites/blog.socioambiental.org/files/publicacoes/mineracao2013_v6.pdf>

RICARDO, F.; ROLLA, A. Mineração em Unidades de Conservação na Amazônia brasileira. São Paulo, Instituto Socioambiental (ISA), mar, 2006. Disponível em: <http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00000776.pdf> ou em <http://www.socioambiental.org/pt-br/o-isa/publicacoes/mineracao-em-terras-indigenas-na-amazonia-brasileira-2013>.

RICARDOFany (Org.). Terras Indígenas & Unidades de Conservação da natureza: o desafio das sobreposições. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2004. 687 p. (ISBN 85-85994-31-2). Disponível em: <https://loja.socioambiental.org/banco_imagens/pdfs/10144.pdf#page=53>.

02 julho 2015

Manuais e relatórios do Projeto Planágua SEMADS-RJ/GTZ (2001-2002)

O Projeto PLANÁGUA SEMADS/GTZ, de Cooperação Técnica Brasil – Alemanha apoiou o Estado do Rio de Janeiro no Gerenciamento dos Recursos Hídricos com enfoque na proteção dos ecossistemas aquáticos.

Foi coordenado por Antônio Ferreira da Hora (Subsecretário Adjunto de Meio Ambiente da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Rio de Janeiro -SEMADS) e Wilfried Teuber (Planco Consulting/GTZ). 

Entre os anos 2001 e 2002 publicou 16 Manuais e relatórios que foram compilados nesta pasta do ISSUU (http://goo.gl/Q1HNg1).



Publicações

1 – SEMADS. Bases para Discussão da Regulamentação dos Instrumentos da Política de Recursos Hídricos do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: SEMADS, Março/2001. 82 p.: il. Planágua Vol.1. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

2 - BINDER, Walter. Rios e Córregos: Preservar – Conservar – Renaturalizar. A Recuperação de Rios, Possibilidades e Limites da Engenharia Ambiental. Rio de Janeiro: SEMADS - Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - Rio de Janeiro, Março/2001. 41 p.: il. Planágua Vol.2. ISBN: 85-87206-04-4. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

3 - SEMADS. Bacias Hidrográficas e Rios Fluminenses: Síntese Informativa por Macrorregião Ambiental. Rio de Janeiro: SEMADS, Maio/2001. 73p.: il. Planágua Vol. 3. ISBN 85-87206-10-9. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

4 - SEMADS. Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos da Macrorregião Ambiental 2 - Bacia da Baía de Sepetiba. Rio de Janeiro: SEMADS, Maio/2001. 79p.: il. Planágua Vol. 4. ISBN 85-87206-07-9. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

5 - BIZERRIL, Carlos; SILVEIRA PRIMO, Paulo. Peixes de Águas Interiores do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: FEMAR – SEMADS, Maio/2001. 417p.: il. Planágua Vol. 5. ISBN 85-87-206-209-5. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

6 - CAPUCCI, Egmont; MARTINS, Aderson; MANSUR, Kátia; MONSORES, André. Poços Tubulares e Outras Captações de Águas Subterrâneas – Orientação aos Usuários. Rio de Janeiro: Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMADS), Junho/2001. 67p.: il. Planágua Vol. 6. ISBN 85-87-206-11-7. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

7 - BIZERRIL, Carlos; COSTA, Paulo. Peixes Marinhos do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: FEMAR - SEMADS, Julho/2001. 234 p.: il. Planágua Vol. 7. ISBN 85-85966-20-3. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

8 - COSTA, Helder; TEUBER, Wilfried. Enchentes no Estado do Rio de Janeiro – Uma Abordagem Geral. Rio de Janeiro: SEMADS, Agosto/2001. 160p.: il. Planágua Vol. 8. ISBN 85-87206-08-7. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

9 - ALVES, Jorge (Org.). Manguezais: educar para proteger / Organizado por Jorge Rogério Pereira Alves. Rio de Janeiro: FEMAR - SEMADS, Setembro/2001. 96 p.: il. Planágua Vol. 9. ISBN 85-85966-21-1. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

10 – WEBER, William. (Ed.). Ambiente das Águas no Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: SEMADS, Setembro/2001. 230 p. : il. Planágua Vol. 10. ISBN 85-87206-13-3. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

11- SELLES, Ignez Muchelin Selles (Org.). Revitalização de rios - orientação técnica. Rio de Janeiro: SEMADS, Outubro/2001. 78p.: il. Planágua Vol. 11. ISBN 85-87206-12-05. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

12 - BIDEGAIN, Paulo; BIZERRIL, Carlos. Lagoa de Araruama - Perfil Ambiental do Maior Ecossistema Lagunar Hipersalino do Mundo. Rio de Janeiro: SEMADS, Janeiro/2002. 160 p.: il. Planágua Vol. 12. ISBN 85-87206-15-X. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

13 – KAGEYAMA, Paulo Yoshio; GANDARA, Flávio Bertin; OLIVEIRA, Renata; MORAES, Luiz. Restauração da mata ciliar - manual para recuperação de áreas ciliares e microbacias. Rio de Janeiro: SEMADS, Fevereiro/2002. 104 p.: il. Planágua Vol. 13. ISBN 85-87206-14-1. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

14 - BIDEGAIN, Paulo; BIZERRIL, Carlos; SOFFIATI, Arthur. Lagoas do Norte Fluminense - Perfil Ambiental. Rio de Janeiro: SEMADS, Março/2002. 148 p.: il. Planágua Vol. 14. ISBN 85-87206-17-6. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

15 – SEMADS. Gerenciamento Ambiental de Dragagem e Disposição do Material Dragado. Rio de Janeiro: SEMADS, Março/2002. 35 p.: il. Planágua Vol. 15. ISBN 85-87206-06-0. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

16 – MONTICELI, João. (Coord.) Organismos de bacias hidrográficas: Workshop 26/2/2002 - Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: SEMADS, Maio/2002. 269 p.: il. Planágua Vol. 16. ISBN 85-87206-17-6. (Cooperação Técnica Brasil-Alemanha, Projeto PLANÁGUA-SEMADS/GTZ)

Abaixo uma amostra do manual 2 - Rios e Córregos: Preservar – Conservar – Renaturalizar. A Recuperação de Rios, Possibilidades e Limites da Engenharia Ambiental elaborado por Walter Binder. http://issuu.com/ricardodagnino/docs/02-rios_e_corregos/1




E o Manual 11 com orientações técnicas e estudos de casos sobre Revitalização de Rios. http://issuu.com/ricardodagnino/docs/planagua_11-revitalizacao/1


Imprimir a postagem em PDF

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...