21 dezembro 2012

Fim do mundo ou fim do calendário maia?


Eis o doodle do Google em comemoração ao fim do calendário maia (21/12/12)





Dois cartuns sobre o fim do calendário maia, garimpados do Coletivo Ácido Cético:



Criação: Dan Piraro (Bizarro)


Criação: Leigh Rubin 


"Quem diria..." que o fim do mundo já tinha chegado

Enquanto esperamos o fim do mundo, sugiro dar uma olhada no texto "Quem diria..." de autoria de Maria Lucia Sampaio (senhora minha mãe):

Trecho:

E não é que o mundo acabou mesmo? 

Pois é, acabou, ponto final e não há nada pra fazer! Quem diria? 

E eu que tinha certeza de que esta história de “fim do mundo” era bobagem... Calendário maia, quem iria acreditar? 

Mas, se conseguirmos parar e pensar um pouquinho só, vamos perceber que não acabou de repente. Foi acabando aos poucos e a gente nem deu bola!

Mais em http://maria-lucia.blogspot.com.br/2012/12/quem-diria.html

19 dezembro 2012

Expansão urbana da cidade de São Paulo (1800-2000)

Os mapas e arquivos mostrando a expansão urbana de São Paulo estão acessíveis gratuitamente no site da Lincoln Institute of Land Policy, como parte do Atlas da Expansão Urbana, organizado por Angel (2010). Mais informações sobre o Atlas no site.

Fonte: ANGEL, S., PARENT, J.;  CIVCO D.; BLEI, A. Atlas of Urban Expansion. Cambridge MA: Lincoln Institute of Land Policy, 2010. Online at http://www.lincolninst.edu/subcenters/atlas-urban-expansion/.

Sobre o projeto:

"The Atlas of Urban Expansion provides the geographic and quantitative dimensions of urban expansion and its key attributes in cities the world over. The data and images are available for free downloading, for scholars, public officials, planners, those engaged in international development, and concerned citizens. The global empirical evidence presented here is critical for an intelligent discussion of plans and policies to manage urban expansion everywhere."

Sobre os mapas da seção 2 "30 Cities in Historical Perspective, 1800-2000" 

Esta seção traz os mapas com a expansão urbana de 30 cidades em nove regiões. Dentre elas está a cidade de São Paulo.

"The maps in this section of the atlas are composite digitized maps of the built-up area in a given city in different dates. The actual built-up area of the city at each date was calculated using ArcGIS software. The population associated with each map was interpolated from available historical population data, assuming a constant population growth rate in the intervening period. A total of 261 maps were used to calculate urban extent and average population densities and their change over time in the 30 cities in the sample, an average of 8.7 maps per city approximately 19±1 years apart."




Nove regiões e 30 cidades retratadas no projeto Global Historical Samples of Cities, 1800-2000


Mancha urbana de São Paulo (1880-2000)

 Figura: Mancha urbana de São Paulo em 1881, 1905, 1929, 1949, 1974. (Main Page)




Figura: Panorama geral de São Paulo: Metric Page

Sobre os mapas da seção 1 

Foram escolhidas 120 cidades das nove regiões do globo para serem mostradas em mapas com a evolução entre 1990-2000. Dentre as cidades brasileiras estão São Paulo (SP), Ribeirão Preto (SP), Guarujá (SP), Ilhéus (Bahia), Guarujá (SP), Jequié (Bahia).

Figura: As 120 cidades selecionadas para o período 1990-2000.



Arquivos espaciais

Formato KML - Na seção 5 "Google Earth Data for the Universe of 3,646 Cities" pode-se fazer download dos arquivos com as manchas urbanas para Google Earth. (aqui)

Formato SHP - Na seção "4: Geographic Information System (GIS) Data for Cities" pode-se baixar os arquivos em formato shapefile que podem ser abertos em softwares de Sistema de Informação Geográfica (SIG) - (aqui)


Tabelas com a densidade por ano

As tabelas com a densidade de cada uma das 30 cidades em cada ano está na seção Section 3: Urban, National and Regional Data (aqui) ou diretamente no link abaixo:

Density Data from the 1800-2000 Historical Study of Densities for 30 Urban Areas


São Paulo (Brasil)

Ano Densidade Demográfica (hab./hectare)
1890 158
1900 130
1910 110
1920 97
1930 86
1940 84
1950 81
1960 76
1970 72
1980 77
1990 88
2000 88






Nota/errata:

Na seção 1 e 2 a cidade de São Paulo aparece na tabela como sendo localizada no Chile e não no Brasil


Para comprar em papel:


O Atlas pode ser adquirido em papel no site.

18 dezembro 2012

Artigo de Alex Peloggia (2012) sobre percepção de risco


A percepção do risco geológico e o psiquismo de diferentes culturas: por exemplo, por que “não há risco” no Japão?

Alex Ubiratan Goossens PELOGGIA, Any Marise ORTEGA


Resumo

A percepção de risco pode ser considerada um dos elementos essenciais na construção de um processo de gestão eficaz, em geral pressupondo-se uma relação direta entre percepção e reações de caráter positivo no sentido da diminuição do risco. Todavia, como uma função mental construída em meio social, a percepção de risco se particulariza de acordo com a cultura. Neste trabalho são discutidas particularidades do comportamento com relação ao “risco” na sociedade japonesa tradicional, o que permite uma interpretação psicanalítica da questão que pode ser aplicada ao caso brasileiro.

Palavras-chave: risco geológico, percepção, psiquismo, psicanálise.

Abstract

The perception of risk can be considered an essential element in building an effective management process, generally assuming a direct relationship between perception and reactions of positive character that give the sense of lowering the risk. However, as a mental function built into the social environment, the perception of risk is particularized according to each culture. This paper discusses the peculiarities of behavior with respect to "risk" in traditionalJapanese society, which allows a psychoanalytic interpretation of the question that can be applied to the Brazilian case.

Keywords: geological risk, perception, psyche, psychoanalysis.

Citação:

PELOGGIA, A.; ORTEGA, A. A percepção do risco geológico e o psiquismo de diferentes culturas: por exemplo, por que “não há risco” no Japão? In: Anais do Congresso Brasileiro sobre desastres naturais 2012, Rio Claro, São Paulo, 2012. 

07 dezembro 2012

A linha e a curva do tempo de Oscar Niemeyer (1907-2012)

Oscar Niemeyer (1907-2012)



A linha do tempo


Linha do tempo interativa, clicando aqui você vai para a página da Fundação Oscar Niemeyer e ao clicar nos quadrados abre-se uma foto com mais informações.


A curva do tempo

 

Propaganda publicada na Folha de São Paulo (7/12/12) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Mais sobre Oscar Niemeyer


04 dezembro 2012

Revista do Instituto Humanitas Unisinos sobre Lixo

IHU Revista do Instituto Humanitas Unisinos Nº 410 - Ano XII - 03/12/2012 - ISSN 1981-8769 ON-LINE. Disponível aqui.

A era do lixo Números impressionantes revelam a produção de lixo na sociedade contemporânea. Somos, efetivamente, uma civilização do lixo. A revista IHU On-Line desta semana discute a realidade e os desafios da “era do lixo”. Participam desta edição, Maurício Waldman, Raúl Néstor Alvarez, Eglé Novaes Teixeira, Antônio Cechin, Elisabeth Grimberg, Carlos Roberto Vieira da Silva Filho e Clóvis Benvenuto.





Imprimir a postagem em PDF

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...